A (des)igualdade de género no mundo do trabalho

A desigualdade de género é um fenómeno social e cultural em que ocorre uma discriminação entre pessoas devido ao seu género, masculino e/ou feminino. O seu impacto pode notar-se em diferentes planos: social, familiar, profissional, entre outros.

A nível social, em algumas culturas, a mulher aparece subordinada à figura do esposo ou do pai. A nível económico, a mulher continua a receber, regra geral, salários mais baixos do que o seu par do género masculino que desempenha o mesmo cargo. As tarefas domésticas ou o cuidado das crianças ainda continuam a ser vistas como vinculadas à figura feminina.

A vida do desporto e a vida militar são exemplos onde estão presentes as
desigualdades de género de forma mais visível, quer pela força física “necessária” no caso da vida militar, quer pela visibilidade dos atletas no mundo do desporto, principalmente do futebol.

Um dos exemplos mais chocantes desta desigualdade reside na diferença
salarial entre os dois melhores jogadores de futebol feminino e masculino, respetivamente. Marta Silva, melhor jogadora de futebol feminino, condecorada com seis bolas de ouro, ganha 450 mil euros anuais. Por sua vez, Neymar, melhor jogador brasileiro (e nem sequer o melhor do mundo), ganha 42 milhões de euros por ano. Outra diferença entre estas duas categorias de futebol ressalta quando as ligas de futebol masculino são transmitidas nos meios de comunicação, mas tal não acontece com o futebol feminino.

Artigo escrito pela turma 7.º C, no âmbito da disciplina Cidadania e Desenvolvimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *